quinta-feira, 29 de agosto de 2013

VÍDEO BARES ( BAR ) DE ROLÂNDIA By FARINA

ALEMÃES E JUDEUS EM ROLÂNDIA A PARTIR DE 1942

Com a Noite dos Cristais. O pretexto para este fato foi o assassinato de um alto funcionário da embaixada alemã na França por um judeu, o que acarretou  a destruição de Sinagogas, casas comerciais e residências e acirrou a perseguição aos judeus.  Cerca de 30.000 homens judeus foram levados para campos de concentração e 300 judeus foram assassinados, alem de muitos feridos. Só em Viena, 42 sinagogas foram destruídas e 7.700 judeus presos, sendo registrados 680 casos de suicídio[3].               
 Com esses episódios, culminando com a Kristallnacht, começam a vir para o Norte do Paraná vários políticos, católicos e judeus, fugindo da política nazista. Desta maneira os colonos que se estabeleceram na Gleba Roland eram em sua maioria, da classe média urbana: comerciantes, advogados, políticos, intelectuais, médicos, economistas, artistas e alguns poucos agricultores. Nos trópicos tiveram de se acostumar com o novo país, com uma nova cultura, idioma e com um novo tipo de trabalho.  
 Nesse processo de emigração, que vai até o início da Segunda Guerra Mundial, o governo alemão impôs novas determinações proibindo a saída de dinheiro da Alemanha. Para resolver tal impasse foi realizado um intercâmbio entre a Cia. de Terras e os imigrantes.
 Através deste intercâmbio, Erich Koch-Weser e Johannes Schauff - representantes da companhia inglesa na Alemanha – e os alemães sob risco forneciam o dinheiro para compra do material para a construção de uma estrada de ferro, ligando o Paraná ao Rio Grande do Sul e em troca, recebiam títulos conhecidos como "cartas de terra", que davam o direito de adquirir terras em Rolândia.
Constata-se nesse episódio que  a Companhia de Terras efetuou o negócio com a Alemanha e não com a Inglaterra, possibilitando que parte da população perseguida deixassem o seu país como proprietários de terras.
Entre 1934 e 1938 cerca de 400 famílias de origem alemã se estabeleceram na Gleba Roland, e destes, cerca de 80 (OITENTA)  eram de origem judaica. Porém sem serem necessariamente religiosos, pois muitos eram frutos de casamentos mistos, outros assimilados e outros ainda convertidos ao luteranismo ou catolicismo. Gert Koch-Weser, filho de um dos fundadores, afirmou que entraram em Rolândia cerca de 400 famílias de alemães, sendo 80 de judeus classificados como: 10 puros, 15 considerados judeus por Hitler, 10 políticos e 45 judeus de religião católica.
No entanto, havendo um numero tão grande de judeus na região, nunca chegou a constituir uma comunidade judaica na região, já que para a criação de um ishuv seria necessário uma sinagoga, um cemitério e um açougue Kasher.
Esse fato – a não criação de uma comunidade judaica - cria uma serie de especulações. O primeiro argumento alegado seria a falta de um Mynian (10 homens)para os ofícios religiosos. Porém destas famílias que vieram, onze delas tornaram-se sócias da Congregação Israelita Paulista (CIP) e uma ligou-se a uma sinagoga em Curitiba.  Outro argumento que se coloca é que em Rolândia, durante a guerra, grupos de nazistas também se estabeleceram, fundando um clube germânico (CLUBE CONCORDIA), e talvez por receio que os episódios ocorridos na Alemanha se repetissem em um local recôndito no Brasil, teria inviabilizado a constituição do ishuv. Um terceiro argumento pode ser relativo aos casamentos mistos entre judeus e cristãos – católicos ou luteranos – o que comprometia a transmissão da tradição judaica. Porem o que ressalta é o fato que estes judeu-alemães que se estabeleceram em Rolândia estavam estreitamente ligados a cultura germânica, e nesse sentido, ao invés de estabelecerm um ishuv, criaram um clube cultural chamado Pró-Arte. Neste clube os judeus de origem alemã se encontravam para poder falar a língua alemã, dançar, fazer saraus literários, ouvir palestras e assistir a peças de teatro.
Embora na cidade não tenha constituído uma comunidade judaica, estes judeus que lá se estabeleceram, na hora de sua morte reassumem a sua identidade religiosa, por isso é comum em cemitérios de Rolândia, encontrar túmulos com características judaicas.

A contextualização da imigração judaico-alemã para Rolândia: aportes históricos

Daniel Bruch Duarte
Livia Harfuch
Fabrício Umberto Mardegan
Dr. Marco Antonio Neves Soares (orientador)

[1] PRÜSER, Friedrich, O “Roland” e Rolândia in Roland und Rolandia: Zu Aufrichtung eines Bremen Rolandes im brasilianischen Rolandia, p.127. Bremen: Internationale Verlagsgesellschaft, Robert Bargmann, 1957.
[2] Cf. MAIER, Max Hermann, Um advogado de Frankfurt se torna cafeicultor na selva brasileira: relato de um imigrante (1838-1975) – tradução de Mathilde Maier e Elmar Joenck do original alemão Ein Frankfurter Rechtsanwalt wird Kaffeepflanzer im Urwald Brasiliens: Bericht eines Emigranten 1838-1975. Frankfurt am Main: Josef Knecht Verlag, 1975.
[3] BOSCHETI, B. P., Hitler i il Nazismo: verso la guerra (1933-1939). Veneza: Arnoldo Mondadori, 1981.
[4] Cf. KOSMINSKY, Ethel, Rolândia, a terra prometida: judeus refugiados do nazismo no Norte do Paraná,SP: CEJ/USP, 1985; também MAIER, Max Herman, op. cit. p. 20
[5] Cf. OBERDIEK, Hermann, Fugindo da morte: imigração de judeus alemães para Rolandia-Pr, na década de 30.Londrina, Ed Uel. 1997

TELEVISÃO TELEVISOR TV DOS ANOS 60 E 70

TINHA QUE GIRAR UM BOTÃO GRANDE PARA MUDAR DE CANAL E FAZIA ESTRALOS.. TLAC.. TLAC.. TLAC...
A COR VINHA DE UM PLÁSTICO COM TRÊS CORES....


terça-feira, 27 de agosto de 2013

JOSÉ PERAZOLO EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA



Foi o prefeito mais carismático da história. Estava sempre no meio do povo. Tinha ampla penetração em todas as classes sociais. Governou Rolândia de 1988 a 1992 e de 1997 a 2.000. Sua principais realizações foram: Parque Industrial Roland, Parque Industrial Cafezal, Parque Industrial Pennachi, Parque Industrial Jandelle (2ª etapa), asfalto completo com galerias dos 5 conjuntos, Lago São Fernando, calçadão, capela mortuária do centro e da Vila, Instalações da Oktoberfest incluindo cozinha, refeitório, coreto e palcos, reforma completa da Rodoviária, Escola do Trabalho, rotatórias,  CCI (Centro de Convivência do Idoso), construção e  ampliação de postos de saúdes e escolas, arquibancada e cobertura do Nacional (NAC), desativação do lixão, construção do aterro sanitário, praça do Jardim Novo Horizonte, construção de campos de futebol, instalação de uma gigantesca galeria de águas pluviais do Ginásio de Esportes até o Lago Ingá  e inauguração da rede de esgoto. Em seu primeiro mandato Perazolo recuperou o asfalto de dezenas de ruas com uma máquina de lama asfáltica adquirida na época. Faleceu em 08 de abril de 2008, fato que causou grande comoção social em Rolândia.                              

EURIDES MOURA EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA - OBRAS

EURIDES MOURA - 1983 a 1988

Principais realizações:
- captação da água do Ribeirão Ema.
- Plantio de árvores no Ribeirão Ema.
- Apoio ao Imin 80.
- Instalação de parte da rede de esgoto no centro da cidade.
- Aquisição de uma "Vaca Mecânica".
- Construção de Postos de Saúde.
- Transporte estudantil.
- aquisição de 6 ônibus e 10 kombis.
- Inauguração das Escolas Maria Teixeira e Parigot de Souza.
- Ginásio de esportes da Vila.
- 300 mil metros quadrados de asfalto.
- Conj. Habitacional Domingos Neves.
- Abriu novas avenidas.
- Novas industriais.
- iniciou do Conjunto São Fernando;
- Remodelação de praças e colocação de "petit pave".
- dois módulos policiais.
- Trouxe o 15º B.P.M.
- distribuição de mudas de café.
- Construiu um posto de saúde e 69 casas populares em São Martinho.
- Instalação da sub-prefeitura e telefone no Bartira.

- Ciclovia.
- Reforma do calçadão.

Pesquisa: Aspectos Históricos de Rolândia, Claudia Portelinha Schwengber, 2003.

YUKIMASSA NAKANO


YUKIMASSA NAKANO - 05/82 a JAN/1983
No período em que assumiu o cargo de Prefeito em substituição de Pedro Scomparim,  Nakano primou no cuidado com os serviços públicos e com as finanças públicas. fazendo um mandato de paz e tranquilidade. Em seu mandato foi realizada também uma grandiosa festa em comemoração dos 50 anos de fundação do Município. 

PEDRO SCOMPARIN - EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA - 2º MANDATO

2º MANDATO DE PEDRO SCOMPARIM - 77/82

Principais realizações:
- Ampliou e equipou as escolas Marechal Cândido Rondon (km.10) e Odete Botelho (Pitangueiras)
- Construção da unidade escolar de 1º grau no Conj. Manoel Muller.
- Doação de terreno para as escolas do Jardim Teresópolis e Novo Horizonte.
- Fez aquisições para o acervo da biblioteca.
- Deu prosseguimento às obras do complexo esportivo Emilio Gomes.
- Construiu a Casa de Cultura e a Biblioteca.
- Fez doação de um terreno em Pitangueiras para a Telepar.
- Firmou convenio para a construção da Ciretran.
- Destinou área para desfavelamento.
- Proibiu o licenciamento de granjas de porcos e aves próximo a cidade.
- Combateu a erosão urbana.
- adquiriu uma motoniveladora e um trator esteira.
- ampliou e reformou o Fórum.
- Executou as obras de infra-estrutura e asfalto no Conj. Manoel Muller.
- Construiu a Praça do Jardim Rosangelo.
- Construiu o prédio da sub-prefeitura do Bartira.
- Asfaltou várias ruas da Vila Oliveira.
- remodelou a Av. Interv. Manoel Ribas.
- Remodelou a Av. Expedicionários.

ORLANDINO DE ALMEIDA EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA

ORLANDINO DE ALMEIDA - 1973/1976
Principais realizações:

Centro Esportivo "Emílio Gomes"  - XVIII Jogos Abertos do Paraná, em setembro de 1974. - Doações de terrenos e outras vantagens para a COTAM, Silos da COROL (saída para Arapongas) e o Curtume Berger. - Doação de 16 alqueires para o Museu Japonês, local onde a cada 10 anos é realizado uma grande festa da Colonia. - Construção e reformas de várias escolas municipais. - Colaborou na construção da APAE. - Gestionou junto ao Ministério da Educação para a vinda da Faccar. - Incentivou a criação da Legião Mirim. - Implantou o Conjunto Manoel Muller. - No seu governo surgiu o Jardim Novo Horizonte, de propriedade de Paschoal e Roque Greco, sob a administração da Imobiliária Rolândia. Os projetos e demarcações de lotes foram de responsabilidade de Paulo Ademir Farina.  
- Asfaltou as ruas abaixo da linha férrea e recuperou a Av. Pres. Vargas. - Construiu uma ponte sob o rio Bandeirantes. - Construiu a sub-delegacia e sub-prefeitura de São Martinho. - Instalou um gabinete dentário ambulante. Pesquisa: Aspectos Históricos de Rolândia, Claudia Portelinha Schwengber, 2003.

PEDRO SCOMPARIN - EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA

PEDRO SCOMPARIM - 1970/1972

( MANDATO TAMPÃO )

Priorizou o atendimento à educação. Melhorou os salários dos professores. Construiu 10 salas de aulas na zona rural. Combateu a erosão, instalando 2.000 metros de tubos de concreto (galerias).  Pavimentou a Av. Castro alves (60.000m2.)  diversas ruas da Vila Oliveira  Reestruturou as avenidas centrais da cidade, com instalação de lampadas a base de sódio. Instalou um semáforo. Levou água tratada para a Vila Neves,Vila Oliveira, Vila Formosa, Bartira.  Mandou perfurar dois poços semi-artesianos. Pesquisa: Aspectos Históricos de Rolândia, Claudia Portelinha Schwengber, 2003.

HORÁCIO CABRAL - INTERVENTOR FEDERAL DE ROLÂNDIA

INTERVENTOR HORÁCIO CABRAL - 1969/1970

Conseguiu aumentar a arrecadação municipal. Adquiriu um terreno para a construção de 100 casas populares (Conjunto Horácio Cabral). Construiu um prédio para o almoxarifado e banda municipal.   Construiu a represa do ingazinho. manda confeccionar o mapa rodoviário municipal. adquiriu uma motoniveladora, uma camionete Wilys, um caminhão basculante, duas peruas, um carro, um Volks "Brucutu" para a polícia, um carro bombeiro e uma lambreta. instalou um telefone publico na Vila Oliveira (na época havia muita carência de telefone). Aumentou a rede de água potável e construiu uma caixa d´água elevada de 50.000 litros e um poço semi-artesiano em Sao Martinho.  Em Pitangueiras mandou perfurar outro poço e ergueu um caixa d´água para 22.000 litros. Construiu uma escola próxima ao cemitério. Inaugurou o prédio da delegacia. Arrendou para a iniciativa privada o matadouro municipal. Pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974.

RUBENS OLIVEIRA NEVES - EX-PREFEITO - ROLÂNDIA

RUBENS DE O. NEVES - 4/69 A 06/1969 ( não obtivemos foto)

Vice de José Maria Galvão, assumiu interinamento, por dois meses, com autorização da 5ª região militar. Procurou sanar as finanças do Município, pondo em dia o pagamento do funcionalismo.  Prosseguiu as obras de reforma da Praça Castrelo Branco. Destinou uma área para a construção do Kartódromo do norte. Aumentou o abastecimento de água. Cobrou a dívida ativa do Município.  Modificou a estrutura funcional dos serviços da prefeitura. realizou o primeiro concurso público para o ingresso no magistério municipal. Implantou o sistema tributário do municio. Pesquisa: Dr. Orion Villanueva, Rolândia -Terra de Pioneiros, 1974.

JOSÉ MARIA GALVÃO - EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA


JOSÉ MARIA GALVÃO - 12/68 A 04/1969

Logo nos primeiros dias de mandato determinou que fosse realizada uma sindicância  descobrindo-se que desde 1963 não era feito o "caixa" da Prefeitura, sendo verificada a falta de CR$9.000,00 em  caixa. 89 dias após a sua posse, e por motivos não revelados integralmente, teve o seu mandato cassado pelo regime militar, sem direito a defesa. Pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974, pág. 224/225. 

PRIMO LEPRI - 2º MANDATO - OBRAS

PRIMO LEPRI
2º MANDATO 63/1968

Neste segundo mandato Primo conseguiu as seguintes obras:  - Término do prédio da prefeitura (2º andar); - construção de 4 pontes de concreto; - remodelação do cemitério; - remodelação da Praça Bento Munhoz, que depois passou a chamar Castelo Branco;  - pavimentação de 120.000m2. de asfalto; - combate a erosão;  - construção de varias praças publicas; - Moderna iluminação da Praça Castelo Branco, com super postes e lampadas importadas da Alemanha  - Doação de terreno para o IBC; - criação do Ginásio de Pitangueiras; - combate ao bicho barbeiro; - construção de praças em Sao Martinho e Pitangueiras; - término da Escola vocacional.  Neste mandato, no dia 31/03/1964, houve o golpe da ditadura militar que depos o presidente Joâo Goulart. Segundo o livro do Dr. Orion Villanueva, logo após o golpe houve um movimento em favor do regime militar liderado pelas seguintes lideranças: Dr. Xenofonte Villanueva, Dr. Orion Villanueva, Armando do Lago Albuquerque, Orlandino de Almeida e muitos outros,denominados pelo autor como "revolucionários da 1ª hora". Pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974 e Aspectos Históricos de Rolândia, Claudia Portellinha Schwengber, 2003.

AMADEU PUCCINI EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA - OBRAS


AMADEU PUCCINI - 1959/1963

Amadeu Puccini (PTB) venceu seu opositor Adalberto Junqueira (PSD) com uma votação de 4.743  contra 2.996 votos. Adalberto Junqueira tinha o apoio do governador Moyses Lupion e ficou tão irritado com a derrota que não compareceu na posse de Amadeu e não deixou também os seus vereadores comparecerem. O Dr. Waldemar Moretti representou o prefeito anterior Primo Lepri.   Como Vicentino pautou sua administração cuidando mais dos interesses da classe menos favorecida pela sorte. Sua primeira providencia foi percorrer todo o município a fim de inspecionar as estradas municipais. De inicio mandou calçar o pátio da rodoviária e criou o ponto de táxi. construiu o atual prédio da prefeitura, o Fórum um novo abatedouro municipal e várias pontes de concreto e de   madeira. Doou terreno para a Escola Normal (hoje Escola Dr. Vitório Franklin) e Colégio Santo Antonio. Asfaltou várias ruas do centro da cidade, num total de 18.000 m2. e implantou várias galerias de águas pluviais.Instalou energia elétrica em vários bairros inclusive Vila Oliveira e Jardim Santa Terezinha.  Deu inicio a construção do prédio da Santa Casa, atual Posto de Saúde central. Conseguiu a construção do Colégio Pres. Kennedy e a Caixa d´água elevada, que atualmente pertence a Sanepar.  Em sua gestão é iniciada a subscrição de telefones com a primeira ligação no dia 26/05/62.  Construiu mais escolas municipais. Colocação das primeiras lâmpadas à mercúrio no centro da cidade. Perfuração de um poço semi-artesiano para São Martinho. pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974)

PRIMO LEPRI - EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA - OBRAS





PRIMO LEPRI - 1955/1959



PRIMEIRO MANDATO


Neste primeiro mandato Primo Lepri venceu seu oponente amadeu Puccini por apenas um voto. Primo era morador do distrito de Sâo Martinho onde inicialmente foi agricultor. Seu primeiro ato foi um estudo sobre a implantação do serviço de água e esgoto municipal, aquisição de máquinas e caminhões para os serviços gerais, combate a erosão e construção de escolas. Realizou asfaltamento de muitas ruas do centro da cidade, realizou calçamento de muitos passeios (calçadas), arborizou toda a cidade, implantou galerias de águas pluviais. Na zona rural continuou os serviços de conservação, construiu pontes em vários ribeirões. Construiu também a Rodoviária e o campo de aviação no km. 5. Em seu governo foi criada a Escola Secundária e a Escola de Comércio, sendo reformadas e construídas várias escolas municipais na zona rural e distritos.
Pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974.

COMENTÁRIO: 

Na administração Primo Lepri a asfalto chegou em frente a minha casa onde a minha mãe mora até hoje (em frente ao Nac - Av. Pres. Bernardes). Lembro-me que o asfalto era planejado para durar décadas e suportar qualquer peso. A primeira camada era de pedra basalto (tamanho grande), que eram quebradas na marreta para assentar, depois ia diminuindo de tamanho, com várias camadas de britas. Entre uma camada e outra espargiam piche quente. A molecada se divertia em ver a novidade. O Sr. José Murilo da Urbasa era o chefe da obra. José Carlos Farina

OBRAS DO EX-PREFEITO DE ROLÂNDIA PEDRO LIBERTI


PEDRO LIBERTI - 1951/1955

Adquiriu: - um carro passeio, 4 portas, ano 1950. - um rolo compressor para preparar a base do  asfaltamento; Cuidou muito bem das estradas municipais; Substituiu as guias "meio fio" feitas pelo prefeito anterior; Asfaltou as ruas do centro comercial da cidade em 1952; Construiu a Praça Castelo Branco( na época Bento Munhoz da Rocha) e um coreto, que tinha a aparência de uma tartaruga; Construiu várias pequenas escolas municipais; Pedro Liberti antes de encerrar seu mandato foi eleito deputado estadual passando o cargo ao vereador Alberto Matheus. No final deste mandato, em plena campanha política municipal, Pedro Liberti troca tiros de revólver com Antenor Ferri. Os dois saem alvejados, mas apenas Antenor morre.  Pesquisa: Rolândia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974.

FAMÍLIA MANTOVANI DE ROLÂNDIA

Nós da família Mantovani, nos consideramos pioneiros de Rolândia.  Meu avô Angelo Mantovani ''em memoria'' veio da Itália com 17 anos para Jardinopolis SP.  Depois veio para Rolândia onde já se encontrava meu pai Guerino Mantovani desde 1937 +/-Residiu na Fazenda Bom Jesus até 1976. Eram uma irmandade de 12 irmãos. Em rolândia permanece o caçula deles meu tio Osvaldo Mantovani mais conhecido como Valdemar.  
Eu José Luiz Mantovani sou rolandense de coração... amo esta cidade esse Município  Gostaria de saber sobre minhas duas primeiras professoras Elena Lepri e Jeni Lepri. Desde já agradeço. FOTO By  FARINA

ADALBERTO JUNQUEIRA - EX- PREFEITO DE ROLÂNDIA

Ele era amigo do meu avô. Meu avô  falava que ele era "gente boa". Um amigo de todos os rolandenses. As pessoas o procuravam em todos os lugares e eram atendidos.  Ele obteve dois mandato ( 3 de dezembro de 1946 a 10 de abril de 1947 e 11 de dezembro de 1947 a 9 de dezembro de 1951) Dentre as suas principais obras temos o início da pavimentação no centro da cidade.  Adquiriu: - uma camioneta Ford F-100, ano 1948; - uma motoniveladora para abertura e conservação de estradas municipais; um caminhão para transporte de operários e ferramentas. Construiu as primeiras escolas isoladas, nos patrimônios rurais;  Construiu as primeiras guias "meio fio" e galerias de águas pluviais; Construiu o Ginásio Estadual a Escola Normal e o Posto de Puericultura (atual APMI); revestiu as ruas do centro com macadame e pedra britada. - adquiriu tbm um caminhão pipa para "aguár" as ruas empoeiradas (não havia asfalto). Nasci em 1956 e cheguei ver estes caminhões pipas aguando as ruas perto da minha casa. Parece mentira mas não é - tenho testemunhas - junto com a água caiam pequenos peixes lambaris, que a molecada ia atrás pegando. É que a água era captada em uma represinha ali próximo do antigo Berger, onde havia muitos lambaris...   Pesquisa: Rolandia - Terra de Pioneiros, Dr. Orion Villanueva, 1974.  JOSÉ CARLOS FARINA
Jarbas Junqueira
ESTOU COM O MEU IRMÃO MAIS VELHO SENTADO AO SEU LADO EM CIMA DA CABINE DA CAMIONETA JA CITADA.....NESTA FOTO MEU PAI FOI HOMENAGEADO PELOS FUNCIONÁRIOS QUE ERAM 'da pesada", ISTO É, TRABALHAVAM DE VERDADE


FOTO DE PESSOAS POPULARES DE ROLÂNDIA

JARBAS JUNQUEIRA - MAURO RODRIGUES, PEDRO SCOMPARIN e OSVANIR DE SALLES. FOTO DE JARBAS JUNQUEIRA

sábado, 24 de agosto de 2013

FELICIANO GUEDES DE CARVALHO

Responsável pela vigilancia sanitária nos anos 60 / 80. Foi um dos fundadores do grupo escoteiro de Rolândia. 









BIOGRAFIA DE JOÃO MARTIN MARTIN PIONEIRO DO "PINHEIRÃO" ( ROLÂNDIA-PR.)

JUAN MARTIN MARTIN

Nasceu em Murcia, Espanha. Chegou no Brasil com os pais em 1910. Ele tinha 15 anos. Pediu a mão da minha vó dolores montado em seu cavalo e com as pernas abertas pronto para dar de esporas se o sogro dissesse não... É que meu bisavô Manoel Ruiz era tido como um homem muito bravo....... O primeiro contato foi tbm de cima de uma cavalo..... parou em frente a janela onde minha vó ficava sempre e pediu água...... era costume em "Monte Azul Paulista" passar boiadas em frente a casa onde minha vó morava...... isso foi em 1928.... diz a lenda que o delegado de Monte Azul um dia foi até a casa do meu bisavô... queria levá-lo para depoimento.. ele além de não ir trocou tiros com a polícia a noite inteira... a velha carabina papo amarelo chegou a esquentar.... meu avò ( este carequinha aí da foto) falava sempre que ajudava levar boiada da região de monte Azul e Barretos para Goias e Mato-Grosso... ele falava que tinha calos enormes nas nádegas de tanto cavalgar... ele pegou malária no mato-grosso e sofreu muito em cima do cavalo em meio a chuva coberto apenas por uma capa de feltro que todo cavaleiro da época usava... meu avô tinha muito amor aos animais... ele criava porcos.. gado e galinhas.. nunca vi ele agredindo uma das suas criações.... Todo o dia de manhã e a tarde ele tratava os seus animais.. nunca esquecia.... eu e meus primos sempre o ajudávamos a debulhar milho e cortar cana.... meu avo era considerado o maior capador de porcos da região... esterilizava tantos machos como fêmeas.. nunca perdeu um animal por infecção.. ele tinha o dedo indicador torto de tanta castrações que fez... é que para esterilizar fêmea depois do corte tem que enfiar o dedo indicador dentro da barriga do animal para puxar os ovaríos para fora que depois são cortados com um canivete super afiado.... vi muitas "cirurgias" feitas pelo meu avô... meu avô era mt trabalhador... trabalhava de sol a sol... quando chovia chuva fina... ele convocava os netos para irem ajudá-lo a roçar pasto... colocávamos uma toca de saco de estopa na cabeça ( formando um capa) e lá íamos....ele era baixinho mas tinha mt saude... morreu aos 90 anos aqui em Rolândia na casa dos meus pais;; até pouco tempo antes de ficar doente..levantava todo dia as 6 horas e fazia o café.... depois acordava todo mundo.. uns para estudar.. outros para trabalhar... Ele ajudava a minha mãe todo dia descascando alho e batatas...Ele era super honesto e trabalhador. Bebia vinho todo dia e nunca o vi bêbado. Ele nunca falou um palavrão. Bom.. uma vez quando "martelou"  o dedo por acidente acabou soltando um "PQP".. KKKKKKK Lembro-me perfeitamente o dia em que tirei esta foto.. como a maquina não tinha flash pede a minha mãe e meu avô que ficassem próximos da janela da cozinha. Foi na hora do café da tarde.. meu avô tomava sempre leite com café e pão...Ele sempre comia alho batido com sal e óleo no pão. Ele dizia que era um costume lá da Espanha. Minha fala que o pai dele ( meu bisavô) com 100 anos andava de cabeça para baixo, usando as mãos. . Foi casado com Dolores Ruiz Maldonado. Teve  sete filhos: Ercanação, Isabel, Maria, Ana, Antonio, Manoel e Sebastiana ( minha mãe). TEXTO e FOTO de JOSÉ CARLOS FARINA

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

FAMÍLIA DOS PIONEIROS SEBASTIANA / JOSÉ FARINA - ROLÂNDIA - PR.




























(ONTEM) Dolores, Zé Carlos, Sandra, Marco...
Pauo, Sebastiana, José Farina e João Martin ( avô materno).. Faltou o Pedro na foto...




























  • Andre, tassia, ana paula, (José Farina meu saudoso pai), pedrinho, Sebastiana 
    ( minha mãe), Ina (filha), Alexandre, Ju ( filha), Caroline e Paulinho... Atrás com 
    saia amarela Tatiane...



























Janaina,Sebastiana, Caroline, Ju, Tassia, Alexandre, Paulinho, Andre e José Farina





























(HOJE) Sandra, Marco, Pedro, Tassia, Sebastina, Paulo, Zé Carlos e Dolores.































Ana Flávia, Tatiane, Ana Paula, Caroline, Tassia, Ana Carolina, Juliana,
Janaina, Bruno...
Luiz, Alexandre, Paulinho, André, Pedrinho e Alvaro.
































  • JOÃO MARTIN ( AVÔ MATERNO), TIO TONI. MINHA MÃE SEBASTIANA, TIA LUIZA, TIO MANÉ, VÓ DOLORES, MARCOS   NO COLO DA VÓ DOLORES, AS CRIANÇAS ( DE BAIXO PARA CIMA) PAULO, PEDRO, VILMA, ZÉ CARLOS, TONINHO e MARCOS...  ESTE SÍTIO DE 10 ALQUEIRES HOJE PERTENCE A LUIZ BOUDRAIZ... SUIÇO....FOTO By JOSÉ FARINA FILHO  ( MEU SAUDOSO PAI)...






















































    JOSÉ FARINA COM OS FILHOS PEDRO, PAULO, ZÉ CARLOS e MARCO ( SENTADO)





















































    SEBASTIANA FARINA COM OS FILHOS MARCO e ZÉ CARLOS





















































    SEBASTIANA FARINA COM OS FILHOS






































SEBASTIANA FARINA COM OS SOGROS JOSÉ FARINA e ADELAIDE FARINA e os  FILHOS








































SEBASTINA FARINA, MARCO ( COLO), PEDRO, TIO MANÉ, ZÉ CARLOS, PAULO,
DONA RITA, VÔ JOÃO  MARTIN ( PAI DE MINHA MÃE)






























JOSÉ FARINA, SEBASTIANA MARTIN FARINA. MARIA FRANZONI, JOÃO ZANINELI, ?, JOSÉ CARLOS FARINA e MARCO ANTONIO FARINA.



























SEABASTIANA MARTIN FARINA e seu pai JOÃO MARTIN MARTIN



























SEBASTIANA MARTIN FARINA e filhos ( anos 60 )





































ADELAIDE e JOSÉ FARINA

1º FUSCA FABRICADO NO MUNDO FOTO