quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

ROLÂNDIA - CASA DO CHEFE DA ESTAÇÃO DE TRENS

ANTIGA CASA DO SR.VASCONCELOS, CHEFE DA ESTAÇÃO. ERA ELE QUEM RECEBIA E EXPEDIA MERCADORIAS PARA O TREM E ERA ELE QUEM BATIA O SINO QUANDO O TREM ESTAVA CHEGANDO. AINDA HOJE SE VÊ A PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DA  RFFSA NA VARANDA DA CASA. TEXTO E FOTOS  DE JOSÉ CARLOS FARINA



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

BETO RICHA E O NORTE DO PARANÁ


SOU PÉ VERMELHO COM MUITO ORGULHO

Governador Beto Richa... Se você (permita-me chamá-lo assim por ser ainda jovem) tivesse o amor que eu ( e seu saudoso pai)  tenho pela terra vermelha do norte do Paraná não teria afirmado que a nossa região não tem vocação para industrializar-se. Ora, se não fosse o arrojo, a coragem, a capacidade e o trabalho do pioneiro não tínhamos transformado a floresta virgem em cidades progressistas como Londrina, Maringá, Cornélio, Arapongas e Rolândia e tão pouco tempo (80 anos).  Amamos Curitiba, mas veja governador que esta cidade precisou de  mais de 200 anos  para chegar onde chegou. Pelo ritmo do desenvolvimento do norte do Paraná não precisaremos de tanto tempo assim para superarmos Curitiba, pois afinal possuímos melhores terras,  melhor clima e um povo muito trabalhador. Gostaria que em nome de tudo o que o seu saudoso pai representa para o norte do Paraná que você repense o nosso potencial e importância para o Estado e para o Brasil. Eu sou pé vermelho e tenho muito orgulho disso. Viva o Norte do Paraná, o melhor lugar do mundo para se viver. JOSÉ CARLOS FARINA - ROLÂNDIA-PR.
Obs.: Resposta a uma declaração dada pelo governador à Folha de Londrina.

sábado, 7 de janeiro de 2012

RELAÇÃO DAS Locomotivas, carros e vagões em 1937, e evolução da frota


Rede de Viação Paraná - Santa Catarina

Alexandre Fressatto Ramos - APFMF
xxxx
LocomotivasQtd.
Tanque8
Mogul25
Consolidation10
Ten-Wheel45
Mallet10
Mikado47
TOTAL145
        
CarrosQtd.
48
60
Mixto7
Dormitório8
Serviço13
Restaurante3
Correio10
Bagagem13
Corr-Bag18
Socorro1
Frigorifico1
Funebre1
Bag-Animais4
TOTAL187
 
VagõesRVPSCClausula 6ªClausula 19ªPortaria
18 de Maio
Plataforma994535793
Borda Alta50   
Gaiola141 10 
Coberto1102 3042
TOTAL22875397135
TOTAL GERAL:2824
Ainda possui 325 vagões de 2 eixos inoperacionais convertidos em alojamento para pessoal de via
 
Evolução da frota
AnoLocomotivasCarros + Vagões
1915871690
1916871698
1917871791
1918871893
1919871893
1920871842
1921871844
19221001831
19231002024
19241002354
19251342771
19261383025
19271383040
19281383049
19291393049
19301393049
19311393049
19321393049
19331393049
19341393049
19351393049
19361453049
19371453011
  



Estrada de Ferro São Paulo - Paraná - início de operação


Estrada de Ferro São Paulo - Paraná
TrechoAberturakmSoma
Ourinhos - Leoflora1924-06-122121
Leoflora - Cambará1925-07-01829
Cambará - Ingá1930-04-152958
Ingá - Bandeirantes1930-07-012482
Bandeirantes - Cornélio Procopio1930-12-0143125
Cornélio Procopio - Congonhas1932-5-317142
Congonhas - Jatai Paraná1932-5-342184
Jataí Paraná - Londrina1935-01-0126210
Londrina - Nova Dantzig1935-12-0114224
Nova Dantzig - Rolandia1936-01-0112236
Rolandia - Arapongas1941-01-0115251
Arapongas - Apucarana194318269
Os dados do suplemento Estradas de Ferro do Brasil - 1945 foram transcritos manualmente em planilha, para ordenar os trechos por ferrovias, por trechos e/ou por datas, e calcular os subtotais (checagem). Em alguns poucos casos, foram corrigidos erros tipográficos evidentes, utilizando dados do Guia Geral das Estradas de Ferro. Vale lembrar que — embora apresentado em conjunto com este último — trata-se de outra época, com diferente organização das ferrovias e suas linhas e, portanto, diferentes contagens de quilometragem

Estações ferroviárias em 1960 - Linha Ourinhos - Apucarana


RVPSC - Rede de Viação Paraná - Santa Catarina
Estações ferroviárias em 1960Linha Ourinhos - Apucarana

VFCO
G1 - Guia Geral das Estradas de Ferro - 1960
Linha Ourinhos - Apucarana
(Bitola de 1,00m)
N° de
ordem
NomesNome
anterior
Distância do
ponto inicial
(metros)
Altitude
(metros)
Data da
inauguração
São Paulo
102Ourinhos (v. EFS-75) 31647512-6-1924
Paraná
-Marques dos Reis (PSC-101) 30839615-6-1937
103Presidente Munhoz 31548512-6-1924
104Leoflora 32152112-6-1924
105Cambará 3304481-7-1925
106Meireles 34151415-4-1930
107Niepce da Silva 3485101-11-1948
108Andirá 35847915-4-1930
109Timburi (PE) 36443617-6-1939
110Cinzas (PE) 37440317-9-1939
111Bandeirantes (3)893823921-7-1930
112Ibiúna (PE) 39044129-9-1940
113Laranjinha (PE) 40141729-9-1940
114Santa Mariana 4084841-11-1948
115Guapuruvu (PE) (3) 41756020-7-1949
116Cornélio Procópio 4256531-12-1930
117Catupiri (PE) 43554910-9-1941
118Congonhas 4434533-5-1932
119Uraí 4543941-8-1936
120Serra Morena 4654993-5-1939
121Frei Tirnóteo 4763543-5-1932
122Jataìzinho5964843463-5-1932
123Ibiporã 49548615-7-1936
124Londrina (3) 5105761-1-1935
125Cambé (3) 5246701-12-1935
126Rolândia (3)2195377311-1-1936
127Ceboleiro 5437691-11-1942
128Arapongas (3) 5518151-1-1941
129Aricanduva1.1075608371-11-1942
130Apucarana
(v. EFCPa-10) (3)
 5698221-11-1942
131Pirapó 57782631-1-1954
132Cambirá 58378931-1-1954
133Jandaia do Sul (3) 58978231-1-1954
134Mandaguari (3) 60074331-1-1954
135Marialva 61562231-1-1954
136Sarandi 62557031-1-1954
137Maringá (3) 63355331-1-1954
138Paissandu 647--
139Água Boa 662--

Relação de locomotivas da RVPSC em 1935 ( PARANÁ )


Rede de Viação Paraná - Santa Catarina

Alexandre Fressatto Ramos - APFMF
xx

Estrada de Ferro Paraná (P)

1º Nº2º NºTipoFabr.Nº Fabr.Entrada
em serv.
Esforço
tração
(kgf)
Obs.
1-P120TanqueBaldwin1469728/11/18965783 
2-P121TanqueBaldwin1496804/1/18975783 
10-P230MogulBaldwin1545001/4/18986228 
11-P231MogulBaldwin1156701/2/18856228 
12-P232MogulBaldwin1156808/9/18916228 
13-P233MogulBaldwin1156910/9/18916228 
14-P234MogulBaldwin1293703/2/18936228 
15-P235MogulBaldwin1293801/2/18936228 
16-P236MogulBaldwin1293919/12/18936228 
17-P237MogulBaldwin1430422/11/18956228 
18-P238MogulBaldwin1430522/11/18956228 
19-P239MogulBaldwin1544901/3/18986228 
101-P501ConsolidationBaldwin654708/2/18857624 
103-P502ConsolidationBaldwin625412/2/18857624 
104-P503ConsolidationBaldwin1181608/6/18927624 
106-P504ConsolidationBaldwin655010/12/18937624 
107-P505ConsolidationBaldwin1411923/11/18957624 
108-P506ConsolidationBaldwin1430323/11/18957624 
109-P507ConsolidationBaldwin32794*19/8/19087624 
110-P508ConsolidationBaldwin3279521/9/19087624 
111-P509ConsolidationBaldwin3102418/9/19077624 
112-P510ConsolidationBaldwin3102519/10/19077624 
401-P320Ten-wheel T1Baldwin390547/8/19137896 
402-P321Ten-wheel T1Baldwin3905612/8/19137896 
403-P322Ten-wheel T1Baldwin3905512/8/19137896 
41-P350Ten-wheel T1Baldwin344012/6/19108170 
42-P351Ten-wheel T1Baldwin344022/6/19108170 
43-P380Ten-wheel T3Baldwin335213/5/19229889[1]
44-P381Ten-wheel T3Baldwin335223/5/19229889[1]
45-P382Ten-wheel T3Baldwin335332/1/19239889[1]
501-P383Ten-wheel TS-2Cassel-Ale1106130/6/19129160 
502-P384Ten-wheel TS-2Cassel-Ale1106228/6/19129160 
503-P385Ten-wheel TS-2Cassel-Ale1106626/6/19129160 
504-P386Ten-wheel TS-2Cassel-Ale110675/2/19139160 
601-P1001Mallet M2Cassel-Ale110404/8/191213832 
602-P1002Mallet M2Cassel-Ale110359/8/191213832 
603-P1003Mallet M2Cassel-Ale1103719/8/191213832 
604-P1004Mallet MS2ALCo.5300325/10/191313832 
605-P1005Mallet MS2ALCo.5300419/11/191313832 
606-P1006Mallet MS2ALCo.5300512/9/191313832 
607-P1007Mallet MS2ALCo.530063/10/191313832 
321-P638MikadoBaldwin5839531/7/19258880 
322-P639MikadoBaldwin5839630/7/19258880 
323-P640MikadoBaldwin5839729/7/19258880 
324-P641MikadoBaldwin5839831/7/19258880 
325-P642MikadoBaldwin5839929/7/19258880 
326-P643MikadoBaldwin5840028/7/19258880 
[1] Compradas pela Companhia Paulista em 1909, incorporadas a EFP em 1922
[P] - Acrescentado à numeração das locomotivas para distingui-las, devido à sobreposição de números nas várias ferrovias, linhas e ramais reunidos na RVPSC.
* Locomotive 507 is Baldwin 32794, not 35794. Doug Cummings
Lembrando que apesar da classificação EFP, Ramal de Barra Bonita etc., todas essas ferrovias faziam parte da RVPSC. Elas foram mantidas separadas até 40/41 apenas por um motivo burocrático, tanto que em 1941 a RVPSC propõe a renumeração total das locomotivas, unificando em séries únicas, porque havia muita sobreposição de número na frota.